• Ligue : +55 (85) 4008.4109
Faça agora sua contribuiçãoR$

07
set

0
identificando o cancer

SETEMBRO DOURADO: Identificando o câncer infantojuvenil

Tipos de câncer

Diagnóstico Precoce, este é o principal aliado quando se fala em cura do câncer infantojuvenil. A rápida identificação da patologia torna possível determinar qual o tipo de neoplasia, quais tratamentos podem ser mais eficazes e por quanto tempo ele deve ser realizado. Depois de uma análise inicial, o paciente é encaminhado para realizar o diagnóstico preciso, sendo identificado nesta etapa qual o tipo de câncer.

Vamos conhecer agora os principais tipos:

Leucemia

É um câncer que se desenvolve na “fábrica do sangue” que fica localizada na medula ou tutano dos ossos do corpo. O sangue possui dois tipos de células: células vermelhas que transportam oxigênio e células brancas que ajudam o organismo a se proteger dos micróbios (infecções).

A leucemia acontece quando os glóbulos brancos param de exercer a função de defesa e passam a se multiplicar de maneira desordenada. Eles se infiltram em grande quantidade na medula óssea, comprometendo a produção e funcionamento normal das células sanguíneas.

A leucemia recebe nomes diferentes dependendo da célula branca atingida:

  • Leucemia Linfóide Aguda (LLA): é a leucemia que atinge os linfócitos (linfoide) em que os sintomas são percebidos em pouco tempo (aguda) após o início da doença.
  • Leucemia Mielóide Aguda (LMA): é a leucemia que atinge os monócitos ou granulócitos (mielóide) em que os sintomas são percebidos em pouco tempo (aguda) após o início da doença.

O diagnóstico preciso da doença é feito através do exame mielograma, onde é analisado o sangue retirado da medula óssea. Além dos tipos mencionados acima existe a Leucemia Mieloide Crônica (LMC) e Leucemia Linfoide Crônica (LLC).

Os sintomas das leucemias incluem cansaço, fraqueza, sangramento, febre, perda de peso, entre outros. Esses sintomas podem se referentes a outras enfermidades, por isso é de grande importância que o diagnóstico ocorra de forma precoce. Desta forma, as chances de cura são de até 70%.

Tumores do Sistema Nervoso Central

O Sistema Nervoso Central (SNC) é formado pela medula espinhal e o encéfalo (cérebro, cerebelo e tronco encefálico). Ele é responsável por receber e transmitir informações por todo o organismo. Os tumores SNC são aqueles que se desenvolvem dentro da cabeça, nas células do cérebro, formando massas que causam sérios problemas de saúde.

O diagnóstico preciso é feito por meio de tomografia ou ressonância magnética, mas para descobrir se o tumor é maligno ou benigno é necessária a realização da biópsia. O passo seguinte, quando possível, é a retirada do tumor, através de procedimento cirúrgico. O tratamento pode seguir com a quimioterapia e radioterapia.

Os principais sintomas são irritação, moleza, dores de cabeça constantes, vômitos ao acordar ou durante o sono, convulsões, alterações de comportamento, do jeito de andar e de falar.

Tumor de Wilms

O Tumor de Wilms aparece, geralmente, antes dos 5 anos de idade da criança e representa de 5% a 10% do total de casos. É um câncer que se desenvolve nos rins. Sua identificação é feita pelo crescimento da barriga e pela presença de uma massa palpada nessa região.

Além dessa massa, podem aparecer outros sintomas como sangue na urina, pressão alta, dor local, perda de peso, diarreia e palidez progressiva.

O diagnóstico é feito por meio de ultrassom, tomografia, cirurgia (biópsia) e exames de imuno-histoquímica do órgão afetado. O tratamento dependerá da evolução do tumor, podendo ser a quimioterapia. Se necessário, pode ser solicitado a retirada do rim. Se o câncer for detectado precocemente, as chances de cura são de 90%.

Tumores Ósseos

Os tumores ósseos são os tipos mais raros. É o sexto em incidência no público infantojuvenil. Sua aparição é mais frequente em adolescentes. Os locais mais comuns onde o tumor aparece é logo abaixo ou acima do joelho, mas pode aparecer também nos membros superiores. Os tipos mais recorrentes são o Osteosarcoma e o Sarcoma de Ewing.

A pele ao redor pode ficar avermelhada e conforme o desenvolvimento do tumor, nota-se também um inchaço no local, e o paciente pode apresentar dificuldade de andar e limitação de movimentos.

Os sintomas podem ser confundidos, principalmente, com infecções ou resultado do crescimento da criança ou adolescente. Por isso, para um diagnóstico, é necessário fazer um Raio X e um médico ortopedista com experiência em câncer, deve realizar uma biópsia. O tratamento é feito com cirurgia e quimioterapia. O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura para até 70%.

Linfomas

Os linfomas surgem no linfonodos que também são chamados de nódulos linfáticos, landras ou gânglios. Existem gânglios em várias regiões do corpo: pescoço, nuca, axila, peito, barriga e virilha. Por isso, o linfoma pode surgir em diferentes partes do corpo e deformar os gânglios, que ficam endurecidos e com a forma de “caroços”. O linfoma também pode receber nomes diferentes:

  • Linfoma Não-Hodgkin (LNH): é o tipo mais comum na infância e que se espalha de maneira desordenada. Ocorre, geralmente, por volta dos 4 a 8 anos e pode atingir qualquer região do corpo, principalmente tórax e abdômen. Com o diagnóstico precoce, as chances de cura são de 80%.
  • Linfoma de Hodgkin (LH): é o tipo que se espalha de maneira ordenada, de um grupo de gânglios para outro. A maioria dos casos começa com as popularmente conhecidas “ínguas” que vão crescendo nas regiões do pescoço, axilas ou região iguinal. Podem surgir também febres prolongadas e perda de peso. De 100 crianças tratadas adequadamente, 85 delas ficam completamente curadas.

Os sintomas dependem da localização, porém os mais comuns são aumento de tamanho dos linfonodos, falta de ar ou tosse, febre, perda de peso, sudorese, fadiga e volume abdominal.

Retinoblastoma

Como o próprio nome sugere, o retinoblastoma é o câncer que ocorre no fundo do olho, em uma parte chamada retina. Geralmente atinge crianças de até 4 anos de idade.

Os sintomas são mudanças anormais no olho, como aumento de tamanho e “olho de gato” (mancha branca e brilhosa na bolinha do olho que aparece principalmente em fotografias), além de dor de cabeça e vômitos.

O retinoblastoma pode ser hereditário ou esporádico. O diagnóstico pode ser realizado nos primeiros momentos de vida do bebê. Através do Teste do Olhinho, onde é direcionada uma luz vermelha para a pupila da criança, são identificadas diversas doenças oculares. Os tumores pequenos podem ser tratados com métodos especiais, que permitem que a criança continue a enxergar normalmente. Nos casos mais avançados, o olho pode precisar ser retirado e a criança pode precisar de quimioterapia e/ou radioterapia.

Neuroblastoma

É o tipo de câncer que se desenvolve em crianças, sendo derivado das células do sistema nervoso simpático. Ele pode surgir em forma de massa tumoral, nas regiões do pescoço, peito, barriga e pelve (parte baixa da barriga). Muitas vezes, o neuroblastoma pode já estar presente no nascimento.

Os sintomas mais comuns são dores abdominais, alteração do hábito intestinal, inchaço nas pernas, olhos estufados, olheiras e febre.

Rabdomiosarcoma (RMS)

É um câncer que se desenvolve a partir dos tecidos conectivos, como músculos, tecidos gordurosos, membros que sustentam as juntas e vasos sanguíneos. O Rabdomiosarcoma, mais comum em crianças e adolescentes, desenvolve-se nos músculos ligados aos ossos, porém podem surgir em outros locais do corpo. Os sintomas dependem do lugar onde o tumor origina-se.

Os pais devem estar sempre atentos aos filhos. A criança dificilmente inventa sintomas. Ao sinal de qualquer anormalidade, a criança ou adolescente deve ser encaminhada ao médico o mais rápido possível.

 

Parada-da-esperanca-2019-260

 Assessoria de Comunicação da Associação Peter Pan